Plano Diretor de Confins deve observar restrições que recaem sobre o município

O diretor-geral da Agência de Desenvolvimento da RMBH, Gustavo Medeiros, o assessor Diego Pessoa Santos, e o gerente de Regulação da Expansão Urbana, Fabrício Pallione Avelar, retornaram à Prefeitura de Confins, nesta quarta-feira (22/5), para discutir o início da revisão do plano diretor do município e apresentar o cronograma de trabalho e da audiência pública, juntamente com dois representantes do Instituto Ruaviva, Isnard Monteiro e Paulo.

Após assinatura do Termo de Colaboração com a Agência RMBH, no último dia 3 de maio, o Ruaviva será o responsável pelo assessoramento na revisão dos planos diretores de sete municípios metropolitanos incluindo o de Confins. Os outros seis são Esmeraldas, Florestal, Itaguara, Mário Campos, Raposos e Taquaraçu de Minas.

O prefeito de Confins, Celso Antônio da Silva, destacou a necessidade de se observar, na elaboração do plano, as restrições que recaem sobre o município por estar numa área de influência do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, estar inserido na área de proteção ambiental (APA) Carste de Lagoa Santa e, também, a existência do SAP – Sistema de Áreas Protegidas.

Já o diretor-geral da Agência RMBH, Gustavo Medeiros, ressaltou que o plano diretor precisa pensar no crescimento compatível com essas restrições e, também, aproveitar a proximidade com o aeroporto para ajudar a diversificar a economia do município.

Também participaram da reunião, os secretários de Meio Ambiente, Paulo Teodoro de Carvalho, e de Desenvolvimento Econômico, Eliana Viana Pinto; o procurador Gustavo André Valadares; e a encarregada de Serviços da prefeitura, Samantha Brito.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *